Associação Ventos Peregrinos

Albergue de Rates

Sobre nós

O Albergue de S. Pedro de Rates foi o primeiro espaço em Portugal, na época moderna, exclusivamente dedicado ao acolhimento de peregrinos a Caminho de Santiago de Compostela.

Da vontade de um peregrino e com a colaboração da autarquia, o Albergue de Rates teve a sua inauguração a 25 de Julho de 2004. Desde a sua inauguração até agora um grupo de voluntários garante o acolhimento aos peregrinos. Neste momento o Albergue é gerido pela Ventos Peregrinos – Associação de Hospitaleiros.

IMG_4082

A Ventos Peregrinos – Associação de Hospitaleiros, uma associação sem fins lucrativos, desde que iniciou a sua atividade tem assegurado as relações entre todas as partes interessadas e envolvidas em torno do melhor acolhimento ao Peregrino.

A 5 de abril de 2012 a Ventos Peregrinos – Associação de Hospitaleiros assumiu a gestão do Albergue, tendo como missão promover o melhor acolhimento ao peregrino e dinamizar o Caminho, tanto de Santiago como de Fátima. 

É também propósito da Associação reforçar a ligação do Albergue com a comunidade envolvente e a afirmação do Albergue de S. Pedro de Rates como uma referência no Caminho Português.

Órgãos Sociais

Direção


Isabel Vilhena
Presidente


Vítor Oliveira
Vice-Presidente


Fernando Silva
Tesoureiro


António Pires
Secretário


Jorge Fidalgo
Vogal

Mesa da Assembleia


Fátima Almeida
Presidente


Bruno Vilhena
1º Secretário


Clélia Pinto
2º Secretária

Conselho Fiscal


Cristina Torres
Presidente


António Magalhães
1º Secretário


Marlene Ferreira
2º Secretária

S. Pedro de Rates

S. Pedro de Rates é uma das sete freguesias do concelho da Póvoa de Varzim que, segundo a maior parte dos estudiosos, tem origem no período anterior ao romano, sendo que, desde esse período, é à volta do seu mosteiro que vai gravitar a vida da localidade, sendo um dos mais atraentes e sui generis exemplares de arte românica em Portugal.

Após um período de desorganização do mosteiro de Rates, em 1517, o rei D. Manuel I dá um foral novo ao Couto da Vila e Mosteiro de Rates, sendo este o período mais bem conhecido da história da Vila de Rates e aquele em que ela mais prosperou.

Do notável passado histórico de S. Pedro de Rates restam marcas assinaláveis como a Igreja Românica e o Pelourinho, ambos monumentos nacionais; a antiga Câmara; um conjunto de quatro capelas, construídas ao longo dos séculos XVII e XVIII, sendo de salientar a do Senhor da Praça, no centro da povoação, bem como a Rua Direita.

Orago

S. Pedro de Rates


Festas e Romarias

Senhor dos Passos (Domingo de Ramos)

Corpo de Deus

Santo António

S. Pedro de Rates (26 de Abril)

IMG_4103
IMG_4160

Lenda de S. Pedro Rates

“São Pedro de Rates foi um judeu convertido pelo apóstolo S. Tiago, e por ele sagrado como primeiro arcebispo de Braga, tornando assim esta capital na primeira arquidiocese cristã da Península Ibérica, permitindo vincar a importância e antiguidade de Braga como diocese atestando a lógica da independência de Portugal. Segundo a antiga tradição, S. Tiago, apóstolo, veio pregar à Península Ibérica cerca do ano 37, deslocando-se a Braga, onde viviam grande número de judeus, que converteu. Foi aí que visitou uma sepultura célebre, onde jazia um Santo Profeta Judeu de Nação. Batizou-o e dando-lhe o nome de Pedro, o escolheu e tomou por primeiro e principal de todos os seus discípulos. Pedro tinha curado da lepra a filha do Governador de Braga, converteu-a mãe ao cristianismo, sendo que a jovem consagrou a sua virtude ao criado, zangando o seu pai, que mandou que se matasse S. Pedro, o qual avisado, se viu obrigado a fugir. Os soldados romanos foram encontrá-lo no lugar que hoje chamam Rates, onde já havia uma população de cristãos e Igreja. E ali, diante do altar onde o acharam, foi executado o martírio”.

In Guia do Visitante, Núcleo Museológico da Igreja Românica de S. Pedro de Rates (adaptado)

Mapa

Consulte aqui o Guia do Caminho de Santiago

Torna-te hospitaleiro

“O que importa é oferecer hospitalidade aos peregrinos e todos sabem que hospitalidade não é só uma cama e um duche quentinho… É muito mais… Por isso, convido-vos a dar um pouco de vosso tempo para recebê-los calorosamente porque, no fim de uma etapa longa e penosa, um sorriso torna-se, muitas vezes, bem mais reconfortante do que uma massagem… E a contrapartida para o hospitaleiro, garanto-vos, será sempre enriquecedora.” 

– Natália Fumega –Hospitaleira do Albergue de Rates 

Junta-te à equipa dos hospitaleiros! 

by Aveiro Smart Business